De virada, Riograndense vence o Brasil-PEL

Periquito saiu atrás no placar, mas mostrou força e raça para buscar a vitória sobre uma das equipes favoritas na briga pelo acesso.

Em casa, e para delírio da torcida, uma vitória de virada com a marca da garra esmeraldina sobre um dos grandes favoritos da Divisão de Acesso. Assim foi o jogo do Riograndense contra o Brasil-PEL vencido pelo Periquito por 2 a 1 após sair atrás no placar, em partida atrasada da primeira rodada da Série A2. Com a vitória a equipe do técnico Círio Quadros sobe para a quinta colocação do Grupo A, com seis pontos em três partidas e com um jogo a menos em relação aos adversários.

O duelo começou equilibrado, com os dois times mostrando respeito pelo adversário e se estudando em campo. Aos poucos o Riograndense aumentou o volume de jogo, que com boas trocas de passes passou a chegar com perigo ao gol do veterano Luiz Muller. Quando era melhor na partida, o balde de água fria no Periquito. Em cobrança de falta da intermediária, aos 15 minutos, Wender alçou a bola na área, na confusão o goleiro Yai se atrapalhou e viu a bola morrer lentamente no fundo do gol. Placar aberto no Estádio dos Eucaliptos pela equipe Xavante.

DSCF8462
Xavante abre o placar no Estádio dos Eucaliptos. (Foto: Diogo Viedo/EsporteSUL)

O Riograndense acusou o golpe. Demorou alguns minutos para a equipe de Círio Quadros se achar em campo. Quando retomou o controle do jogo, esbarrava no paredão rubro-negro montado pelo time pelotense. Apenas o centroavante Éder Machado atuava no campo ofensivo, os demais atletas todos recuados. Da beira do gramado, o técnico Rogério Zimmermann gesticulava pedindo que a equipe Xavante se fechasse ainda mais.

O treinador do Brasil-PEL parecia prever que algo ruim estava para acontecer com seu time. Depois de tentativas com Gustavinho, Julio Abu, Cassel e Gudi, quando o cronômetro apontava o último minuto da primeira etapa, a cobrança de falta da intermediária que mudou os rumos da partida. Na batida do meio-campo Gustavinho, mais uma vez um dos destaques do Periquito, a bola passou por todo mundo e desta vez foi Luiz Muller quem falhou. Bola na rede e igualdade no score.

Na volta do intervalo, os primeiros minutos e as primeiras ações do Riograndense deixaram evidentes que o clube buscaria a vitória a qualquer custo. Com o jogo disputadíssimo e com alguns lances mais ríspidos, a partida ganhou em emoção, inflamando a torcida presente no estádio. Com uma grande movimentação dos atletas e uma linha bem postada de quatro atletas frente aos defensores, o Riograndense segurou o ímpeto ofensivo do Brasil com uma forte marcação. Com o controle das ações foi para cima do adversário e pressionou até garantir a virada esmeraldina.

Aos 19 minutos, após bela jogada de Julio Abu pela esquerda, o uruguaio Foletti tentou duas vezes o arremate antes de ser derrubado dentro da área. Penalidade máxima bem assinalada pelo árbitro da partida. Na cobrança, o experiente centroavante Rafael Refatti bateu seco, forte, sem chances para Luiz Muller. Era a virada esmeraldina se concretizando no Estádio dos Eucaliptos.

DSCF8536
Rafael Refatti vibra com o gol da virada. É a segunda cobrança de pênalti convertida pelo centroavante na Divisão de Acesso. (Foto: Diogo Viedo/EsporteSUL)

Logo após o gol, Refatti foi atingido dentro da área, mas desta vez o juiz nada marcou. No entanto, o autor do segundo gol do Riograndense sentiu a perna no choque com o zagueiro e precisou sair de campo. Em seu lugar Círio promoveu a entrada de Fabio Alemão. Além do centroavante, entraram na segunda etapa o volante Michel no lugar de Cassel e o meia Jefesson Mikimba na vaga de Julio Abu.

Os minutos finais foram para o torcedor esmeraldino roer as unhas Dessa vez era o Riograndense quem tratava de se defender de qualquer maneira. Mesmo com uma forte pressão do Brasil-PEL, bravamente o Periquito segurou a vitória até o apito final. Festa da torcida esmeraldina no Estádio dos Eucaliptos. Mais três pontos conquistados, quinta colocação no grupo assegurada, com um jogo a menos, e a moral elevada para enfrentar o Ypiranga, no próximo sábado, no Colosso da Lagoa.

Depois da grande vitória sobre o Xavante, o plantel esmeraldino já se reapresenta na quinta-feira para trabalhos em dois turnos. Pela manhã os atletas realizam exercícios físicos na academia e à tarde um treino técnico no Estádio dos Eucaliptos.

Foto: Diogo Viedo / EsporteSUL
Jogadores do Riograndense comemoram a vitória. Riograndense quebrou a invencibilidade de três jogos do Brasil-PEL. (Foto: Diogo Viedo/EsporteSUL)

FICHA TÉCNICA
RIOGRANDENSE x BRASIL-PEL

RIOGRANDENSE: Yai; Anderson, Marcio Nunes, Vinicius, Lucas; Gudi, Cassel (Michel), Julio Abu (Jeferson Mikimba), Gustavinho; Foletti e Rafael Refatti (Fabio Alemão).
Técnico: Círio Quadros.

BRASIL-PEL: Luiz Muller; Tiago Rannow, Renato Martins, Fernando Cardozo e Edu Silva (Gustavo); Leandro Leite, Washington (Marcio Jonatan), Wender e Canhoto (Maicon Sapucaia); Alex Amado e Éder Machado.
Técnico: Rogério Zimmermann

GOLS: Gustavinho e Rafael Refatti, para o Riograndense. Wender, para o Brasil-PEL.

CARTÕES AMARELOS: Gudi e Fabio Alemão, para o Riograndense. Éder Machado, Washington e Marcio Jonatan, para o Brasil-PEL.
ÁRBITRO: André Cieslak
AUXILIARES: Julio Cesar Barcelos Rodrigues e Mateus Oliverio Rocha

 

Por Bruno Tech, em 10/04/2013.

s2Member®

CÓPIA PROIBIDA

CONTEÚDO PROTEGIDO PELA LEI DE DIREITOS AUTORAIS

EsporteSUL - O esporte daqui é aqui www.esportesul.comFacebookInstagramTwitter