CÓPIA PROIBIDA

CONTEÚDO PROTEGIDO PELA LEI DE DIREITOS AUTORAIS

EsporteSUL - O esporte daqui é aqui www.esportesul.comFacebookInstagramTwitter

Dirigentes da dupla Rio-Nal estudam criação de um novo clube em Santa Maria

Clássico Rio-Nal tem na história 258 confrontos. Foto: Diogo Viedo / EsporteSUL

A reunião entre dirigentes da dupla Rio-Nal ocorrida na noite desta quarta (25/09) trouxe à tona uma ideia levantada a alguns dia por representantes dos dois clubes. Com grandes dificuldades financeiras (o Riograndense inclusive ainda luta para quitar as pendênicas com o grupo que disputou a Divisão de acesso em 2013),  a cúpula de Inter-SM e Riograndense discutiu a possibilidade da criação de uma nova instituição desportiva na cidade para representar Santa Maria em competições profissionais de futebol.

A ideia de fundir os dois clubes está descartada, preservando o patrimônio, passivos e ativos de ambos, mas a criação de um terceiro time, que ocuparia uma das vagas dos então licenciados Esporte Clube Internacional e Riograndense Futebol Clube na Divisão de Acesso 2014 começa a ganhar força política. Entre os 13 presentes no encontro na Choperia Alemanha, (Juliano Leite, Evandro Zamberlan, Antonio Palharini (Peninha), Ricardo Siqueira, Claudio Zappe, Dilson Siqueira, Vilmar Pizzani, João Provensi (R), Luiz Cláudio Mello, Heriberto Marquetto, Cezar Saccol, Paulo Brandt e Paulo Cesar Piquini (I)), a união é a única saída para se fazer futebol profissional na próxima temporada.

Reunião na Choperia Alemanha acendeu a ideia de união dos dirigentes alvirrubros e esmeraldinos para a criação de um novo clube santa-mariense. Foto:  Fabricio Vargas / Extrasm
Reunião na Choperia Alemanha acendeu a ideia de união dos dirigentes alvirrubros e esmeraldinos para a criação de um novo clube santa-mariense. Foto: Fabricio Vargas / Extrasm

Em entrevista à Rádio Imembuí, o presidente da Federação Gaúcha Francisco Novelletto Neto sinalizou positivamente em relação a intenção santa-mariense e garantiu que a nova agremiação ocuparia uma das vagas deixadas pelos tradicionais rivais.

- Os dirigentes me comunicaram na segunda-feira que estavam estudando a possibilidade de fusão, somente no futebol. Eles também perguntaram sobre a vaga com a fusão. Eu disse que normalmente não se pode fazer isso, mas por questão de bom senso as duas vagas virariam uma apenas. Então deixei claro que não perderiam vagas. Ficaria o nosso "Santa Maria" em uma experiência de dois e três anos na Divisão de Acesso, não dando certo voltaria normalmente para Riograndense e Inter-SM. Os dirigentes me pediram sigilo, mas como vocês descobriram (...) Viria como nome de Santa Maria, acho que está certo, seria uma homenagem a cidade" - disse Novelletto em entrevista veiculada nesta quarta na rádio AM 960 e reproduzida no site peleiafc.

Estádio dos Eucaliptos que teve seu pavilhão reformado recentemente, terá seu futuro decidido nos próximos dias. Foto: Bruno Tech / EsporteSUL
Estádio dos Eucaliptos que teve seu pavilhão reformado recentemente, terá seu futuro decidido nos próximos dias. Foto: Bruno Tech / EsporteSUL

- Na verdade há uma discussão de como se fazer futebol em 2014. E de que forma fazer futebol em 2014? Através de que Inter-SM e RFC se licenciem. Para que se consiga administrar suas contas, tentar buscar valores para quitas os passivos e no futuro, quem sabe, voltar. Diante desse licenciamento, para Santa Maria não ficar sem futebol, essas pessoas que fazem futebol no Inter-SM e Riograndense, fundariam esse novo clube para que, no conjunto de união de forças dessas pessoas, de empresários e também da torcida, se faça futebol competitivo em 2014. Pois dessa forma, na nossa visão, nenhum dos clubes terão forças para se fazer um futebol competitivo. - explicou Ricardo Siqueira, diretor-jurídico e vice-presidente do Riograndense.

Decisão da diretoria preserva o bom gramado do Estádio Presidente Vargas. Foto: Diogo Viedo / EsporteSUL
Estádio Presidente Vargas poderá trocar de cores mais uma vez. Foto: Diogo Viedo / EsporteSUL

O presidente do Conselho Deliberativo do Inter-SM defendeu a solução:

- Num futuro próximo nós vamos ter 12 clubes disputando a primeira divisão. O futuro é de muitas mudanças e sem dinheiro não se faz futebol. Eu não vejo motivação dos dois presidentes que colocam dinheiro do bolso para enfrentar mais um ano, uma nova aventura à frente dos dois. - destacou Paulo Brandt, que através de uma de suas empresas patrocinou as duas camisas nesta temporada.

Na próxima semana os conselheiros dos dois clubes discutirão a alternativa internamente. Com a possível aprovação dos conselheiros no Presidente Vargas e nos Eucaliptos, Juliano Leite e Luiz Cláudio Mello devem encaminhar o pedido de licenciamento junto à FGF. A partir daí, a formalização do novo clube deverá efetivamente passar a ser discutida. De acordo com Paulo Brandt, nome, cores e uniforme do novo clube seria decidido em consulta à população da cidade.

Clássico Rio-Nal tem na história 258 confrontos. Foto: Diogo Viedo / EsporteSUL
Clássico Rio-Nal tem na história 258 confrontos. Foto: Diogo Viedo / EsporteSUL

SEGUNDA MUDANÇA

A mudança radical no futebol de Santa Maria não é novidade. Em 2002, em uma tentativa de fugir da rejeição à alusão ao xará da capital, o Inter-SM passou a adotar o nome de Santa Maria Esporte Clube. Nove meses depois, em assembléia geral, os conselheiros determinaram o retorno do Esporte Clube Internacional.

De acordo com o jornal A Razão de 5 de março de 2002, a mudança de nome do clube fundado em 1928 foi aprovada por 32 votos, com apenas duas abstenções e dois votos contra. A estreia do Santa Maria foi contra o Juventus de Santa Rosa no dia 17 de março, pela segunda rodada da Divisão de Acesso, com as novas cores, o cinza e o branco, as mesmas do brasão da cidade. A vitória no primeiro jogo oficial, porém, não teve o esperado apoio nas arquibancadas. No dia 12 de dezembro, a assembléia que contou com a participação de conselheiros e associados, derrubou a mudança. Foram 6 votos pelo retorno do nome, 3 contra e 10 abstenções.

Já o Riograndense, que completou 100 anos de história em 2012, desativou suas atividades entre os anos de 1979 e 1999 mas retornou mantendo sempre o estatuto original do clube.

Por Diogo Viedo, em 26/09/2013.

s2Member®