Veja como foi o ano de 2013 para os indicados do Prêmio EsporteSUL na categoria “Destaque Individual Nacional”

Os atletas que concorrem a “Destaque Individual Nacional” representaram e muito a cidade de Santa Maria em competições no Brasil e também ao redor do mundo. A judoca da seleção brasileira Maria Portela, o motovelocista Rafael Bertagnolli e o canoísta Gilvan Ribeiro travam uma disputa de campeões brasileiros de três modalidades disitintas: judô, canoagem e motovelocidade.

Depois de estrear na principal categoria da motovelocidade brasileira com o vice-campeonato em 2012, Rafael Bertagnolli venceu quatro das oito etapas do Circuito em 2013 e conquistou a tão sonhado título no Moto 1000 Gp – 600 cc, mesmo com um turbulento início de temporada quando chegou a abandonar a disputa e passar por uma troca de equipe. Valente e talentoso, Bertagnolli ainda brigou paralelamente pelo bi do gaúcho, mas acabou em segundo.

Bertagnolli coroou a temporada com o título no Moto GP 1000 600 cc. Foto: Moto GP 1000

Bertagnolli coroou a temporada com o título no Moto GP 1000 600 cc. Foto: Moto GP 1000

Fiel parceiro do irmão mais velho Givago, Gilvan Ribeiro teve uma das mais intensas temporadas da carreira do canoísta. Depois de garantir seis medalhas no sul-americano em Val Paraíso no Chile em abril, ao lado do irmão, – ouro (k4 200 m, 500 m e 1000 m), prata nos 200 metros e bronze nos 500 m no k2, ele colocou o nome da família Ribeiro entre os melhores colocados dentre os não-europeus na Universíade realizada na Rússia em julho, ficando a meio segundo da medalha nas provas do k2 e k4 nos 200 metros. No k4 200 metros, ao lado de João Alves e Roberto Maehler, Gilvan e Givago ficaram em 5º lugar na melhor colocação nos Jogos Olímpicos Universitários.

Ainda na Europa, onde ficou durante os meses de julho, agosto e setembro, Gilvan disputou em agosto o Mundial de Velocidade em Duisburg na Alemanha, quando foi o melhor sul-americano na competição, conquistando o 19° melhor resultado entre os 44 competidores. Em setembro, na Suécia, Gilvan aumentou sua coleção de medalhas com o bronze no k1 (1000 m e 500 m), prata nos 200 m, e ouro na prova de 5 mil metros na Høst Regatta. Ainda em setembro, ao lado do amigo Michel de Carli Ferreira, de Caxias do Sul,  o atleta de Santa Maria disputou a prova de 31 km no Mundial de canoagem maratona no k2, em Copenhagen, Dinamarca, terminando o longo percurso em 15°, contra outros 34 participantes.

Gilvan Ribeiro teve um ano de muitas medalhas e competições. Foto: Arquivo pessoal

Gilvan Ribeiro teve um ano de muitas medalhas e competições. Foto: Arquivo pessoal

Presente em competições de judô por todos os cantos do planeta representando a seleção brasileira, Maria Portela encerrou o ano em 14° no ranking mundial na categoria até 70 kg. Durante a temporada, a judoca que defende a Sogipa esteve presente em todos os grandes momentos brasileiros nos tatames. Em março, a judoca conquistou a medalha de Prata no European Open de Praga. Em abril e maio, bronze no Pan da Costa Rica por equipes e no Troféu Brasil Interclubes. Dois meses depois, em julho, veio o bi na categoria e o título por equipes no Mundial Militar, em Astana, no Cazaquistão. Em setembro, fez parte do time feminino que ficou com a inédita medalha de prata no Mundial por equipes no Rio de Janeiro.

Em outubro, Portela foi uma das judocas da equipe brasileira que ficou com a medalha de prata no  World Combat Games, realizado em São Petesburgo, na Rússia. Já em novembro, diante da torcida porto-alegrense, a judoca também levou a prata junto com a equipe da Sogipa na 6ª edição do Grand Prix Nacional Interclubes.

Maria Portela exibe medalha de ouro conquistada no Mundial Militar. Foto: Arquivo pessoal

Maria Portela exibe medalha de ouro conquistada no Mundial Militar. Foto: Arquivo pessoal

Por Diogo Viedo, em 10/12/2013.

Notícias Relacionadas