Olho No Lance e a última rodada do segundo turno da Divisão de Acesso passada a limpo

banner Olho No Lance

Gandense vivo

O Riograndense ganhou do Ypiranga, por 2 a 0, obteve a vaga às quartas de final do 2º turno da Divisão de Acesso e, de quebra, finalizou a fase na 1ª posição do grupo B. No caminho do Gandense, agora, o Avenida, que tirou a vaga da Inter-SM. Um duelo interessante e equilibrado, que começa na quarta-feira, em Santa Cruz, e tem a segunda partida no Estádio dos Eucaliptos. O êxito da campanha periquita é compartilhado. A nova direção, com Dilson Siqueira no comando, buscou reforços na hora necessária. O técnico Luciano Corrêa soube montar o time com as contratações e o grupo de jogadores vestiu a camiseta literalmente, principalmente após a goleada sofrida em Marau. As vitórias contra Santa Cruz e Glória, como visitante, foram fundamentais. O mesmo vale para os triunfos em casa, frente ao Nova Prata e o próprio Ypiranga. O próprio ponto diante do Cerâmica foi benéfico na soma final. Nem a amarga derrota para o Brasil-Far, em casa, tirou o foco da equipe esmeraldina. Porém, o Riograndense ainda não atingiu o objetivo do acesso. A dura caminhada prossegue no mata-mata. Até o título do 2º turno, o total é de seis jogos, e o periquito vai precisar superar três adversários.

Eliminação precoce

Nem o alvirrubro mais pessimista imaginava que o Inter-SM pudesse ser eliminado do 2º turno da Divisão de Acesso na fase classificatória. Mas, na realidade, a conta da desclassificação já vem cobrada desde que o time perdeu seis pontos totalmente inesperados. As derrotas para o rebaixado Canoas – foi a única equipe dita de ponta que perdeu para o adversário – e o Avenida, em pleno Estádio Presidente Vargas, foram cruciais na desclassificação. A lesão do atacante Josiel, o grupo reduzido e a falta de peças de reposição também atrapalharam os planos do técnico Badico. Deixar para decidir a vaga fora de casa e contra um Panambi que precisava da vitória para não correr risco de rebaixamento, igualmente, entrou no cenário da eliminação. Soma-se a tudo isso, um desentendimento entre jogadores alvirrubros no intervalo do jogo. De cabeça quente, o time voltou para o 2º tempo, levou dois gols e a vaga escapou. No geral, pelo que acompanhei da campanha, considero que houve alguns equívocos na montagem do grupo e a preparação física deixou a desejar. Badico fez o que podia, pois tinha raras opções, principalmente do meio para a frente. Pelo terceiro ano consecutivo, o Inter-SM não consegue o acesso para a Série A do Gauchão. À direção resta, agora, avaliar os acertos e os erros da temporada, e projetar 2015.

Rapidinhas

Inter-SM deixa a Divisão de Acesso com a 7ª melhor campanha na pontuação geral. Somou 24 pontos em 15 jogos (7 vitórias, 3 empates e 5 derrotas, 24 gols pró e 13 gols contra).

Riograndense é o 5º na classificação geral, com 25 pontos (8 vitórias, 1 empate e 6 derrotas, fez 22 e levou 15 gols).

Com mais dois gols, atacante Jajá segue soberano na artilharia do periquito: são 12 gols no total. Suspenso pelo 3º amarelo, não atua em Santa Cruz.

A grande decepção do campeonato foi o Santa Cruz. Também esperava mais do Panambi.

Douglas T-Rex foi o jogador mais regular do Inter-SM na Divisão de Acesso. Volante de qualidade e guerreiro em campo.

Tupi, o patinho feio, já ganhou o troféu de agradável surpresa. Veio da Terceirona e obteve vaga nos dois turnos. É o 2º na pontuação geral (28 pontos).

O Marau levou um gol no fim, perdeu para o Cerâmica e acabou rebaixado. Uma pena.

Técnico Rodrigo Bandeira tirou o União Frederiquense do rebaixamento e classificou a equipe para as quartas de final do 2º turno.

Santo Ângelo escapou do rebaixamento e também garantiu vaga para as quartas de final.

Com Hélio Vieira, Cerâmica reagiu no 2º turno e obteve a classificação.

Avenida repetiu a dose do 1º turno, agora sob o comando do técnico Tonho Gil.

Ypiranga, campeão do 1º turno, e Brasil-Far, vice, seguem adiante nas quartas de final do 2º turno.

Um time que leva 10 a 0, em um jogo profissional, merece ser rebaixado. Riopardense fez fiasco em 2014 e bateu recorde negativo, com 15 derrotas em 15 jogos.

Como consolo, restou ao Santa Cruz sair com o melhor ataque nos 15 jogos dos dois turnos: 30 gols feitos.

Melhor defesa, com 11 gols sofridos, é compartilhada por Tupi e Avenida.

Riopardense levou os títulos de pior defesa (59 gols) e pior ataque (5 gols). Caiu feio.

Ypiranga é o líder no geral, com 30 pontos. Também venceu mais (9v) e perdeu menos (3d, como o Tupi).

Quem mais empatou foi o Santa Cruz (6). Já o Riograndense foi quem menos empatou (1).

Os cruzamentos das quartas de final do 2º turno: União Frederiquense x Ypiranga, Riograndense x Avenida, Tupi x Brasil-Far e Cerâmica x Santo Ângelo.

Tupi e Brasil-Far repetem duelo do 1º turno nas quartas de final. Naquela ocasião, em jogo único, Brasil-Far ganhou nos pênaltis (5 a 4) do Tupi, em Crissiumal, após 0 a 0 no tempo normal.

Se passar pelo Avenida, Riograndense pega o ganhador de Tupi x Brasil-Far nas semifinais.

A frase – “Estou triste porque eu queria levar o time à primeira divisão. Da minha parte, peço desculpas” (Técnico Badico, do Inter-SM, no Diário de Santa Maria).

Som da coluna – Sugiro Benito Di Paula, com Vai ficar na saudade. Clique e curta a música.

gilson piberGilson Piber é jornalista concursado da UFSM, radialista e professor do curso de Jornalismo da Unifra. Comentarista esportivo da Rádio Guarathan e doutorando em Ciências da Comunicação pela Unisinos/RS.

Notícias Relacionadas