Atletas da ASENA brilham na seletiva nacional de canoagem

Em busca de vagas no Mundial Universitário e na equipe brasileira de canoagem, o trio santa-mariense da ASENA que foi a São Paulo disputar a seletiva nacional da modalidade no último domingo não decepcionou.

Presentes nas disputas individuais (k1) de 200 e 1000 metros na raia olímpica da USP, Givago Ribeiro conquistou o 3° lugar geral e 1° da seleção universitária, o que confirmou a ele a classificação para o mundial que acontece em agosto na Bielorrússia.

Andrieli Estefani, que chegou em 3° lugar na júnior, também garantiu vaga para a seleção brasileira da categoria. Já Mariane Santos da Silva, 5° mais rápida do Brasil no K1-200 m, ficou como suplente na equipe nacional.

Satisfeito com o resultado, o multicampeão Givago, segue agora a preparação em Santa Maria pra o desafio no leste europeu.

– No meu caso não irei me apresentar na seleção, somente para as provas internacionais, para concentração permanente não, até porque treinei 60% da capacidade aqui em Santa Maria e foi o suficiente para ganhar dos selecionáveis, ficando a um segundo do primeiro lugar. – explica Givago, vice-presidente da Associação Santa-mariense de Esportes Náuticos, que avalia a participação das atletas treinadas por ele e pelo irmão Gilvan:

– A Mariane fez o tempo de 45 segundos nos 200m, e era essa a meta independente da colocação. Eu estou cuidando da preparação delas e sei que até novembro no Campeonato Brasileiro ela baixa mais dois segundos e fica entre as três do Brasil. E a Andrieli vem na crescente, já que é o primeiro ano da categoria júnior e conseguiu se manter entre as três. – projetou.

Mesmo surpreso com seu próprio resultado diante das dificuldades, o tetracampeão brasileiro no k2 – 100 m, ao lado do irmão Gilvan, promete brigar por mais uma medalha em agosto:

– No meu caso em surpreendi. Sei de tudo que faltou na preparação, pois, estudar, trabalhar e treinar ao mesmo tempo não está sendo fácil. Eu mesmo fiz o meu plano de treino baseado no que aprendi nesses 13 anos mais a faculdade de Educação Física, e o método deu certo. Isso me deu credibilidade própria e autonomia para confiar no trabalho e concentrar os próximos 70 dias para conquistar uma medalha nesse mundial. – finaliza.

Andrieli, Givago e Mariane na seletiva nacional, disputada na USP. Foto: Arquivo pessoal / Givago Ribeiro

Andrieli, Givago e Mariane na seletiva nacional, disputada na USP. Foto: Arquivo pessoal / Givago Ribeiro

Por Diogo Viedo, em 09/06/2014.

Notícias Relacionadas