ES TV: “As pessoas precisam ter consciência que o importante em todo o processo é a preparação”, destaca Bernardinho em palestra em Santa Maria

Após conquistar o título do Campeonato Sul-Americano no comando da seleção brasileira masculina de vôlei, no último domingo, em Maceió (AL), o técnico Bernardinho veio a Santa Maria na última terça-feira (06/10) para falar sobre liderança, trabalho em equipe e compartilhar um pouco de suas experiências de mais de 20 anos à frente das equipes feminina e masculina do Brasil na palestra “Na busca da excelência”.

Treinador do time masculino desde 2001, Bernardo Rocha de Rezende, de 56 anos, instigou o público de cerca de 600 santa-marienses que foram até o Park Hotel Morotin prestigiar a presença do técnico multicampeão no encontro promovido pela J.Avila Eventos.

Prestes a comandar a seleção nacional em mais uma edição de Jogos Olímpicos, o carioca nascido na cidade do Rio de Janeiro (RJ) atendeu o EsporteSUL e falou sobre a principal mensagem que a palestra veio deixar ao público da região central do estado.

– As pessoas precisam ter consciência que o importante em todo o processo é a preparação. É você se preparar, treinar, se capacitar sempre. Entender que você faz parte de um time e há um grupo de pessoas ao seu redor e você não consegue nada sozinho. É importante que você tenha líderes inspiradores dentro de qualquer projeto, qualquer processo, enfim. E que a gente não esmoreça nunca, não desista. As crises existem para serem vencidas, as derrotas vão acontecer e a gente tem que se levantar e seguir em frente. Então é não esmorecer, é alimentar determinação, não se conformar com resultados passados e seguir em frente, lutando sempre. – sintetizou.

Sobre a conquista de sua segunda medalha de ouro olímpica como líder da comissão técnica brasileira nos Jogos do Rio 2016, Bernardinho garantiu o foco total no feito que ele considera que, caso aconteça, será o mais marcante da história:

– Seria maravilhoso conquistar isso, independente de fechar, não fechar (seu ciclo), seguir ou não seguir (à frente da seleção), esse é o nosso grande sonho, nosso grande objetivo, trabalhar para isso. Sabemos que vai ser muito difícil, mas nós vamos tentar de todas as formas chegar no degrau mais alto do pódio. Vamos lutar por uma medalha de qualquer maneira, e, quem sabe, conquistar o ouro. Seria realmente um brinde a um trabalho, a gerações de jogadores que lutaram por isso sempre, e conquistar isso em casa seria realmente um feito para sempre, como todos os outros foram, mas esse seria talvez o mais significativo de todos. – revelou o ex-jogador, vice-campeão olímpico como jogador nos Jogos de Los Angeles (1984) e campeã como técnico em Atenas (2004).

Roteiro e reportagem: Diogo Viedo
Imagens: Diogo Viedo e Pedro Lucca
Edição e mixagem: Mateus Pereira
Fotos: William Lucas/VIPCOMM, Wagner Carmo/VIPCOMM, Wander Roberto/VIPCOMM, Maurício Val/VIPCOMM.

Por Diogo Viedo, em 09/10/2015.

Notícias Relacionadas