Em uso desde 2014, Laboratório de Performance em Ambiente Simulado é inaugurado em Santa Maria

O ministro do Esporte, George Hilton, inaugurou nesta terça-feira (01/12), no Centro de Educação Física da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), o Laboratório de Performance em Ambiente Simulado (Lapas). Resultado de parceria da UFSM com o Ministério do Esporte como parte do legado dos Jogos Olímpicos de 2016, o laboratório integra o Centro de Pesquisa em Ambiente Simulado.

Instalado no Departamento de Desportos Coletivos do Centro de Educação Física da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), o laboratório é o único da América Latina com tecnologia capaz de simular treinamentos em diferentes condições de altitude, temperatura, vento e umidade. A estrutura fará parte da Rede Nacional de Treinamento que está sendo estruturada pelo ministério em todo país.

Vídeo: Centro de Excelência Esportiva da UFSM inaugura novo laboratório para receber atletas da seleção brasileira de diversas modalidades

Logo após a inauguração, o ministro conversou com a imprensa presente e ressaltou a importância de se ter um laboratório deste nível no Brasil.

– É um marco na medicina do esporte, que vai capacitar os nossos atletas para terem condições de suportar, enfrentar as situações mais adversas, relacionadas à altitude, à umidade, à temperatura. Tenho certeza que será fundamental para um país que almeja chegar entre os dez primeiros nos Jogos Olímpicos e entre os cinco nos Jogos Paralímpicos. – declarou George Hilton.

– Este laboratório é uma demonstração de que os Jogos não beneficiarão apenas a cidade do Rio de Janeiro. Ficará um legado para o país inteiro. Vamos estabelecer uma rede nacional para os atletas treinarem. Esse laboratório será parte desta rede, onde muitos atletas atuais e futuros poderão usufruir. – acrescentou o ministro.

Entre as autoridades presentes na solenidade de inauguração, destacam-se o reitor Paulo Afonso Burmann, o ministro do Esporte, George Hilton dos Santos Cecílio, o secretário estadual de Turismo, Esporte e Lazer, Juvir Costella, e o diretor do Centro de Educação Física e Desportos (CEFD), professor Luiz Osório Cruz Portela.

Em sua declaração, o reitor afirmou que o Lapas foi, por parte do Ministério do Esporte, uma aposta perfeita.

– Estamos muito honrados com a confiança que o ministério deposita na nossa universidade. Essa é uma parceria que transcende as gestões da universidade que, assim como o CEFD, tem várias ações que vão ao encontro do Ministério do Esporte, já que prestam o apoio, incentivam e estimulam a prática do esporte em todos os níveis de qualificação. – reiterou Burmann.

O diretor do CEFD destacou que o laboratório é também instrumento de pesquisa para a universidade e que, no futuro, outros professores serão convidados para produzir conhecimento a partir dessa nova tecnologia.

– O laboratório foi criado com o objetivo de dar atendimento, oferecer conhecimento tanto para atletas quanto para pessoas que praticam qualquer atividade física. O objetivo é também prestar serviço à comunidade, porque começa destinado aos atletas de alto rendimento, mas não ficará restrito a eles. – informou o professor Luiz Osório.

Lapas foi inaugurado na manhã desta terça. Foto: Ivo Lima/Ministério do Esporte

Lapas foi inaugurado na manhã desta terça. Foto: Ivo Lima/Ministério do Esporte

Intenção e convênio

O objetivo do Lapas é proporcionar aos atletas brasileiros, em preparação para os Jogos Olímpicos de 2016 e outras competições relevantes, condições tecnológicas de treinamento similares às existentes nos países que lideram o cenário esportivo internacional, como Estados Unidos, Japão, Rússia e outros países da Europa.

A partir de convênio com a UFSM, o Ministério do Esporte investiu R$ 1,2 milhão na aquisição de aparelhos de origem inglesa, entre os quais uma superesteira e uma câmara de simulação de condições climáticas capaz de controlar a temperatura (em condições que variam de -40ºC a 50ºC), a umidade (de 14% a 90%) e a presença de oxigênio de acordo com a altitude (podendo simular situações de até 9.000m). Dessa maneira, pode ser simulado o ambiente que os atletas encontram em uma determinada competição, como forma de adaptação não só do corpo, mas também para testar desempenho de trajes, medicamentos e materiais esportivos.

A esteira de alta performance pode ser utilizada por cadeirantes, corredores e ciclistas. Nela, é possível programar aceleração (até 70km/h), aclives, declives e até o trajeto de uma determinada prova.

Durante a visita às instalações, o funcionário do Centro de Educação Física Jeferson Soldati, 33 anos, fez uma demonstração sobre uma esteira especial e ressaltou que o local já vem sendo utilizado por atletas profissionais.

– É muito bacana a questão de poder simular a atitude, a temperatura que quiser. Já vi as meninas do ciclismo utilizando a estrutura e já estão obtendo resultados bem melhores. Acredito que será fundamental para melhorar o desenvolvimento dos atletas de alto rendimento brasileiros”. – contou Soldati.

Aparelhos foram apresentados em cerimônia na UFSM. Foto: Ivo Lima/Ministério do Esporte

Aparelhos foram apresentados em cerimônia na UFSM. Foto: Ivo Lima/Ministério do Esporte

Por Diogo Viedo, Ascom (Ministério do Esporte) e Agência de Notícias da UFSM, em 02/12/2015.

Notícias Relacionadas