CÓPIA PROIBIDA

CONTEÚDO PROTEGIDO PELA LEI DE DIREITOS AUTORAIS

EsporteSUL - O esporte daqui é aqui www.esportesul.comFacebookInstagramTwitter

Ato religioso prestará homenagem ao ex-professor da Unifra e vice-presidente do Riograndense

O dia 29 de novembro será para sempre lembrado como um dos capítulos mais tristes da história do futebol brasileiro e mundial. No início da madrugada desta terça-feira o avião que transportava a delegação da Chapecoense para Medellín, na Colômbia, para a primeira partida da final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional, sofreu um acidente fatal resultando na morte de 76 pessoas, segundo o informado pelas autoridades colombianas. A maior tragédia envolvendo uma equipe esportiva e que também deixa de luto o futebol santa-mariense.

Após horas de angustia e informações imprecisas, veio a confirmação do que a comunidade local ainda tenta não acreditar. Entre as vítimas fatais do avião British Aerospace 146, gerenciado pela companhia boliviana LaMia, está o fisioterapeuta da clube catarinense Rafael Corrêa Gobbato, gaúcho de Porto Alegre e com passagem marcante pelo Riograndense. Gobatto era um dos 72 passageiros e nove tripulantes do voo que decolou de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, e perdeu contato com a torre de controle às 22h15, horários local (1h15min de Brasília).

Formado pela PUCRS em 2006, Rafael Gobbato chegou ao Coração do Rio Grande em março de 2012 para ser professor do curso de fisioterapia do Centro Universitário Franciscano. Apaixonado por futebol, não demorou para o destacado profissional ingressar no futebol santa-mariense na figura de fisioterapeuta do Riograndense. No Periquito Gabbato também foi o responsável pelo departamento médico do clube e também vice-presidente na gestão da mandatária Lisete Frohlich, cargo ocupado até julho de 2015.

Pouco tempo após deixar o Estádio dos Eucaliptos. em dezembro do mesmo ano, Rafael Gobbato desembarcou em Santa Catarina para integrar o corpo médico da Chapecoense, onde ocupava o cargo de fisioterapeuta-chefe.

 - Falar do Gobbato é falar de uma pessoa alegre, que amava a fisioterapia, amava o futebol. Tive a honra de ser aluno dele e depois trabalhar com ele no Riograndense. Aprendi muito com ele. Só tenho a agradecer pelo excelente professor e colega de profissão que ele foi. Vai deixar muita saudade. - manifestou o ex-fisioterapeuta do Riograndense Cláudio Marquezan.

Na tarde desta terça-feira, dia 29, na Capela São Francisco de Assis, no Conjunto III  da UNIFRA, ocorre uma celebração religiosa em memória de Rafael Gobbato e a todas as demais vítimas do trágico acidente que cobriu de luto Santa Maria e todo o Brasil.

Gobbato (de preto) ao ldo do capitão Cléber Santana e o fisioterapeuta formado em Santa Maria Guilherme Carli. Foto: Arquivo pessoal
Gobbato (de preto) ao ldo do capitão Cléber Santana e o fisioterapeuta formado em Santa Maria Guilherme Carli. Foto: Arquivo pessoal

Por Bruno Tech, em 29/11/2016

s2Member®