Emocionado e com homenagens, Alex se despede do Internacional

Ao lado do presidente Marcelo Medeiros, o meia Alex concedeu uma entrevista no final da tarde desta quarta-feira (11), no CT do Parque Gigante, e se despediu do Internacional após mais de oito anos de muitas glórias com a camisa colorada. Na última terça, dia 10, o jogador havia ajustado a rescisão do seu contrato junto ao Clube.

Ao final da coletiva, Cristiano Dias, sócio há 11 anos, e Patrícia Ruas, associada há dois anos, entregaram uma camisa com o número 323 gravado às costas, alusivo ao número de partidas que Alex defendeu o Inter nas suas duas passagens. A homenagem foi uma forma de valorizar o quadro social e o craque que honrou o manto colorado.

Visivelmente emocionado, Alex falou sobre seu carinho pelo Inter e agradeceu por todo o carinho recebido: "É díficil, s im, a despedida. Mas isso chegaria em algum momento. Tenho uma gratidão eterna por todos funcionários do Clube. Foram oito anos e meio, não tem como ser diferente. Acaba se criando uma amizade. Torço que este Clube gigante retome seu lugar. A porta fica aberta. O importante é seguir caminho com alegria e respeito. Nunca imaginei alcançar tanta coisa, nunca tive a pretensão de ser o que as pessoas falam que sou", disse o jogador.

Medeiros, por sua vez, ressaltou a trajetória vitoriosa de Alex e todo o reconhecimento merecido por ele: "Um jogador com esta história, com mais de 320 jogos honrando a camisa, um colecionador de taças, merece ser tratado com respeito e retidão. Quando um jogador atinge a condição de ídolo, ele tem que ter o reconhecimento e o carinho dos dirigentes, torcedores e profissionais da imprensa Este é um momento em que nós, do Inter, queremos dizer mais uma vez o nosso muito obrigado", declarou o dirigente.

Alex recebe camiseta em alusão ao número de partidas disputadas pelo Internacional. (Foto: Divulgação/Internacional)
Alex recebe camiseta em alusão ao número de partidas disputadas pelo Internacional. (Foto: Divulgação/Internacional)

Trajetória

Nascido no interior do Paraná, o jogador chegou ao Beira-Rio com 21 anos, mas uma lesão no tornozelo atrapalhou o início da sua vitoriosa trajetória com a camisa do Clube do Povo. Atuou em poucas partidas entre 2004 e 2005, apesar de ter participado das conquistas do Gauchão nestes anos. Inscrito somente na segunda fase da Libertadores de 2006 por conta de uma lesão no púbis, Alex acabou se firmando entre os titulares e se tornou referência no esquema armado pelo técnico Abel Braga. No final do mesmo ano foi peça importante na conquista do inesquecível Mundial, no Japão.

Depois de sagrar-se campeão da Recopa Sul-Americana, em 2007, teve na temporada de 2008 um de seus melhores momentos no Inter. Atuando mais avançado, foi artilheiro do Gauchão, com 13 gols, e eleito o craque do campeonato. Também teve boas atuações no Campeonato Brasileiro – sendo inclusive eleito o melhor 'meia-esquerda' da competição. Na Copa Sul-Americana, foi um dos principais destaques na conquista do inédito título. Em fevereiro de 2009 foi negociado com o Spartak Moscou. Em 2011 voltou ao futebol brasileiro e foi novamente campeão da Libertadores, desta vez pelo Corinthians. Antes da disputa do Mundial, no final do ano, transferiu-se para o Al-Gharafa. Acertou retorno ao Inter em julho de 2013. Nesta segunda passagem, disputou 155 jogos e marcou 22 gols. Foi campeão gaúcho em 2014, 2015 e 2016.

Títulos pelo Inter
- Campeonato Gaúcho: 2004, 2005, 2008, 2014, 2015 e 2016
- Recopa Gaúcha: 2016
- Libertadores: 2006
- Mundial de Clubes da FIFA: 2006
- Recopa Sul-Americana: 2007
- Copa Dubai: 2008
- Copa Sul-Americana: 2008

Meia esteve presente nas principais conquistas do Inter nos últimos anos. (Foto: Divulgação/Internacional)
Meia esteve presente nas principais conquistas do Inter nos últimos anos. (Foto: Divulgação/Internacional)

Por Felipe Tubino, via Assessoria Internacional, em 11/01/2017

s2Member®

CÓPIA PROIBIDA

CONTEÚDO PROTEGIDO PELA LEI DE DIREITOS AUTORAIS

EsporteSUL - O esporte daqui é aqui www.esportesul.comFacebookInstagramTwitter