“A Revolução no Futebol”

esporte e mente

 

O Novo Hamburgo se sagrou campeão gaúcho de 2017. Conquistou o primeiro título de sua história na competição.

Muito mais do que a euforia pela vitória de uma equipe do interior e a celebração pela conquista do Noia, nada disto aconteceu por acaso. Há alguns anos o clube se prepara para isto. Foi o clube quem permitiu a Roger Machado montar com os Galáticos do Vale recentemente suas idéias inovadoras sobre futebol que o levou a vitórias importantes em Gre-Nais e, neste domingo, também conquistou seu estadual com o Atlético-MG.

Em 2013, quando o grupo colorado começou a reclamar para a imprensa a distância entre Porto Alegre e o Centenário em Caxias do Sul, o Noia abriu as portas do seu estádio para o Inter receber suas partidas do Brasileirão e Copa do Brasil enquanto o Beira-Rio estava em obras para a Copa do Mundo. E então passaram a circular pelo Estádio do Vale atletas de ponta, comissoẽs técnicas, empresários, imprensa esportiva de ponta. Na hora de um atleta buscar estrategicamente novos mercados para ascender novamente o clube passou a ser vitrine.

Além de contar com a fórmula necessária para ser campeão dentro de campo, fora dele está um bom exemplo de como a gestão do Novo Hamburgo se preparou ao título de 2017. Além de todo esse empenho em dialogar com níveis, então, superiores, o clube investe na estrutura para receber seus atletas e prepará-los com o melhor material humano possível.

O Novo Hamburgo ergueu a taça de campeão gaúcho batendo a dupla Gre-Nal em sequência, algo que a dupla Caxias e Juventude – que o Noia assistiu de longe se eliminarem em suas rivalidades para celebrar o título na cidade destes clubes, algo que eles também não fizeram – não fez em 1998 e 2000. Esse fato nos leva para outro ponto, onde essa conquista do Noia ficará gravada, como as recentes dos clubes de Caxias do Sul ou a conquista anterior do saudoso Renner?

Só o tempo trará a resposta, porém, a conquista do clube dos anos 1950 tem mais semelhanças com a conquista do clube da região metropolitana. Oferecendo uma revolução no futebol gaúcho e não apenas algo anunciado através do patrocínio terceirizado (Juventude) e da necessidade de resposta ao rival (Caxias).

No momento em que Santa Maria comemora a classificação do Inter-SM para as quartas de final da Divisão de Acesso em uma campanha que enche de esperança o nosso torcedor, a conquista do Noia pode servir como um bom exemplo de motivação para os desafios em busca da tão sonhada vaga na Primeira Divisão.

vinicius esporte e menteVinicius Geissler é psicólogo formado pelo Centro Universitário Franciscano e Coaching graduado pela SLAC. Atua na área esportiva desde 2013 e escreve nas horas vagas.

Notícias Relacionadas