“A nossa prioridade é a liberação do estádio e constituir uma categoria de base forte”, afirma o novo presidente do Riograndense, Wolmar Heringer

Caberá a um ex-ferroviário recolocar o Riograndense nos trilhos. Ao menos até junho de 2018, data em que chega ao fim o mandato tampão de Wolmar Heringer, maquinista aposentado e que na noite desta quinta-feira, dia 10, foi aclamado o novo mandatário do Periquito em eleição realizada no Estádio dos Eucaliptos.

Aos 62 anos, está será a primeira vez que Heringer irá presidir o clube. Sócio desde 2002 e conselheiro desde 2005, o ex-presidente do Conselho Deliberativo e ex-vice-presidente de futebol terá a missão de substituir José Luiz Coden, que renunciou ao cargo no mês de julho.

Minutos após ser aclamado presidente, Wolmar Heringer concedeu uma breve entrevista ao EsporteSUL, já que em seguida iniciaria a primeira reunião com o Conselho Deliberativo para tratar do futuro do clube no papel de chefe do executivo. Além de comentar sobre tal desafio, Heringer falou também sobre a nomeação do conselheiro Gilberto Pires para o posto de diretor financeiro, sobre as principais frente do seu trabalho até o fim do biênio 2017/2018, onde listou as adequações no Estádio dos Eucaliptos e o trabalho com as categorias de base como focos, e mais uma vez convocou todos conselheiros, torcida e comunidade para ajudar o Riograndense a se reerguer de mais este delicado momento de sua história.

Ouça abaixo um trecho da entrevista com o novo presidente do Riograndense, Wolmar Heringer:

Notícias Relacionadas