Atirador do TrapSM traz bons resultados de competição mundial de tiro ao prato

O valor e o sabor de uma medalha, principalmente em nível internacional, tem um preço imensurável para qualquer atleta em qualquer modalidade. Contudo, as vezes a experiência e toda vivência obtidas são tão valiosas quanto um lugar no pódio. E é assim que pode ser resumida a passagem do atirador santa-mariense Atila Moura Abella pelos Estados Unidos, berço e força mundial do tiro ao prato, ou simplesmente trap americano.

Atleta da equipe TrapSM e da Socepe, o advogado de 35 anos foi um dos trinta e nove brasileiros presentes no Grand American World Trapshooting Championships, competição que reuniu um total de sete mil participantes entre os dias 2 e 12 de Agosto na cidade de Sparta.

Empunhando uma Beretta DT11, calibre 12, na categoria double A, Atila Abella encarou duas provas nas pedanas americanas. No primeiro dia de competição em sua classe, no dia 7, o atirador santa-mariense errou apenas três pratos num total de 200 tiros, encerrando com o escore de 99/98. No segundo dia, em 10 de agosto, Abella repetiu o desempenho ao acertar 197 pratos de 200, agora com um escore de 98/99. Resultados que deixaram o representante do TrapSM e da Socepe entre os cem melhores colocados da sua categoria no Grand American.

– Foi uma experiência fantástica, um sonho realizado atirar no país mais tradicional da modalidade que eu pratico. Foi muito bem conviver em uma cultura onde o tiro não é demonizado, onde as armas não são demonizadas, onde o tiro realmente é tido como um esporte e respeitado como tal. – destaca o atirador Atila Abella, que promete retornar ao Grand American em 2018.

Atila Abella integrou o "Brazilian Team" na 118ª edição do Grand American. (Foto: Arquivo Pessoal)

Notícias Relacionadas