A atividade física e a prevenção de lesão

A busca pela atividade física vem crescendo nos últimos tempos, com o objetivo de uma vida sadia e com qualidade. Mas o aumento dessas atividades vem aparecendo traz também alguns problemas como dores e lesões. O esporte desafia o atleta/ser humano em várias habilidades e diferentes intensidades. Correr, trotar, pular, chutar, deslocar, nadar, são componentes importantes na prática de cada esporte, pois exigem força e uma condição anaeróbia do sistema neuromuscular.

Cada esporte tem sua taxa de lesão especifica. Na natação, o mais lesionado é o ombro; no futebol/futsal o membro inferior; no vôlei joelho, ombro e lombar; na corrida o quadril e o joelho.

As lesões com maior incidência são as torções de tornozelo e joelho; as rupturas musculares de posterior e anterior da coxa; as dores na região adutora do quadril (virilha); as dores lombares; e as contraturas musculares.

Tendo em conta a frequência de lesões, o alto custo que ela gera e o sofrimento do atleta, muitos programas estão sendo realizados com o objetivo de “prevenir” essas  lesões.

O programa de prevenção de lesão tem como objetivo principal analisar o movimento/gesto esportivo, a força muscular e os bloqueios articulares de cada pessoa tentando minimizar os riscos de contrair uma lesão. Com ferramentas e testes específicos para cada modalidade conseguiremos no final dos testes, realizar um programa especifico para cada pessoa (atleta ou não) e consequentemente corrigir, conscientizar e preparar o corpo para o esporte que pratica.

Ricardo Barreto é fisioterapeuta formado pelo Centro Universitário Franciscano (Unifra). Gaúcho de Santiago, atua nas áreas de ortopedia e traumatologia desportiva, osteopatia e terapia manual, com foco em avaliação biomecânica (avaliação de força e análise do movimento).

Notícias Relacionadas