A fisioterapia, a prevenção de lesão e a análise de movimento

Com o crescimento da fisioterapia nos últimos anos, o fisioterapeuta anda com muito trabalho, pois temos muitas ferramentas e testes à nossa disposição, com muitos estudos que acabam nos mostrando como avaliar, testar e reavaliar os déficits funcionais das pessoas/atletas/pacientes.

Com a busca incessante por uma atividade física regular com o objetivo de diminuir doenças cardíacas e metabólicas e também a obesidade, acabamos, assim, aumentando o nosso risco de contrairmos alguma lesão musculoesquelética, sendo que as lesões mais comuns são de joelho e tornozelo. Necessitamos avaliar o movimento de qualquer pessoa iniciante ou experiente para diminuirmos as chances dela contrair alguma lesão.

Todos falam em prevenção de lesão, mas muitas vezes não observamos qual o maior problema do tipo de esporte praticado, muito menos os fatores de risco e mecanismos de lesão e como podemos introduzir um método para diminuir essa chance de lesão futura ou a gravidade dela. Obter informações é a peça chave para a prevenção.

Meeuwisse diz que “apesar da lesão parecer um evento único, ela é um resultado de uma interação complexa de fatores de risco interno e externo”. Por exemplo: fatores internos como: idade, sexo e composição corporal; fatores externos, como a tração do calçado e o atrito no chão são alguns exemplos que deixam o atleta mais suscetível a lesão.

Se entendermos a modalidade esportiva praticada entendemos também os mecanismos de lesão. Sendo assim conseguimos orientar exercícios para diminuir essa probabilidade de lesão.

A análise de movimento vem para nos ajudar a entender um pouco mais do gesto motor do nosso paciente/atleta. O objetivo de uma análise de movimento é a prevenção de lesão e diminuir os mecanismos de lesão. Para isso qualquer fisioterapeuta é apto a realizar essa analise com o intuito de diminuir esses riscos que a atividade física traz.
Procure seu fisioterapeuta para cada vez mais diminuir a chance de contrair alguma lesão musculoesquelética.

Ricardo Barreto é fisioterapeuta formado pelo Centro Universitário Franciscano (Unifra). Gaúcho de Santiago, atua nas áreas de ortopedia e traumatologia desportiva, osteopatia e terapia manual, com foco em avaliação biomecânica (avaliação de força e análise do movimento).

Notícias Relacionadas