Em mais um confronto entre Brasil e Argentina, Daniel Brum e Gustavo Vergara sobem ao ringue pelo VII Combat Guerreiros Thai

Modalidade incluída no Combat Guerreiros Thai em sua sexta e penúltima edição, os confrontos de boxe prometem levantar o público presente no Centro Desportivo Municipal (CDM) no dia 16 de dezembro. E o card principal da nobre arte será um verdadeiro desafio entre o boxe gaúcho e o boxe castelhano. Quatro das cinco lutas confirmadas colocarão frente a frente atletas de Santa Maria e São Gabriel contra representantes do Uruguai e Argentina. E um desses encontros mais aguardados é entre Daniel Brum, da Fight Fit, de São Gabriel, e Gustavo Vergara, da Cueva de Guerreiros, de Artigas.

A história e currículo dos dois lutadores só confirmam o porque a luta pela divisão até 64kg é uma das mais esperadas do VII Combat. Gabrielense de 23 anos, Daniel Brum começou a treinar boxe em 2007, modalidade em que se sagrou bicampeão gaúcho e também chegou a participar de um Campeonato Brasileiro. Logo após a experiência entre a elite da nobre arte nacional, o atleta se dedicou nos anos seguintes ao muay thai, onde acumula oito lutas profissionais. Já no boxe são 21 lutas, com sete derrotas e 14 vitórias, a última delas  na sexta edição do Combat Guerreiros Thai, contra o uruguaio Antonio Valdez.

– Estou treinando bastante, agora estou com uma academia de luta. Já lutei contra dois uruguaios e um argentino. Não conheço meu adversário, mas acredito que seja duro. Os argentinos são duros nos ringues. Mas vamos buscar o nocaute como sempre. Acredito que vai ser uma grande luta. – comenta Daniel Brum.

Do outro lado do ringue também estará um atleta já consagrado nas artes marciais. Natural de Paso de los Libres, na Argentina, Gustavo “La Maquina” Vergara defende a uruguaia Cueva de Guerreros desde meados de 2017. E assim como o seu oponente, a experiência do atleta argentino vai além do boxe. Foi o kickboxing a primeira modalidade praticada e onde Gustavo acumulou as primeiras vitórias e honrarias, a partir de 2011. Na modalidade são mais de 70 lutas entre dezoito torneios disputados. Motivo pelo qual rendeu o apelido de “La Maquina” para o atleta de 24 anos. Já no boxe, onde acumula três lutas, as atenções de Gustavo se voltaram na atual temporada, quando passou a residir em Artigas.

– Não tracei estratégias, tenho em mente competir, me divertir, provar para mim mesmo até onde vai o limite do meu corpo. O que mais importa é competir, não importa ganhar ou perder. Para mim é uma honra representar o meu país, a Argentina, e o Uruguai, país da Cueva de Guerreros. Vai ser um grande evento, uma grande luta. Sempre aprendemos algo novo em cada luta. Promete fazer uma boa luta junto com meu rival para todos os presentes. Quero mostrar que a Argentina tem bons boxeadores. – afirma Gustavo “La Maquina”.

Notícias Relacionadas