O que esperar da final da UEFA Champions League?

Liverpool da Inglaterra e Real Madrid da Espanha farão o jogo final da UEFA Champions League na temporada 2017/2018. É o jogo mais esperado da competição! Uma partida que definirá muita coisa. Para Zinedine Zidane é mais uma final, a terceira em sequência, mostrando que a desconfiança inicial (2015) ficou para trás de uma vez por todas. Para Jürgen Klopp é a chance de alcançar seu primeiro título em sua segunda final da competição (na temporada 2012/2013 o alemão ficou na segunda colocação, perdendo a final com o Borussia Dortmund por 2×1 para o Bayer de Munique). Para Klopp essa final é a realização de um sonho, dessa vez o treinador irá disputar uma final com reais condições de vencer e, através das estatísticas, mostrarei motivo dessa afirmação.

Então, vamos falar um pouco sobre números. Os artilheiros da temporada são justamente jogadores das duas equipes: Cristiano Ronaldo (15 gols), Mohammed Salah (10 gols) e Roberto Firmino (10 gols). Em relação às assistências para gol, Roberto Firmino lidera o ranking com 6 passes certeiros, assim como James Milner (5 assistências), também do Liverpool. A equipe da terra do Beatles é a que possui maior taxa de aproveitamento nas finalizações (48,6%). Já o Real Madrid foi a segunda equipe que mais finalizou (196 vezes).

Apesar dos números extraordinários, boas equipes não vivem apenas com bons jogadores, mas sim com um conjunto complexo de conexões (cooperação) entre os 11 atletas. As ações coletivas das equipes ajudam a explicar os motivos de ambas serem as finalistas dessa temporada. Real Madrid e Liverpool foram duas das três equipes que conseguiram realizar mais passes certos dentro da área adversária (foram superadas apenas pelo semifinalista Bayer de Munique). O Real Madrid conseguiu uma marca de 309 (média de 24,25 por jogo) passes completos dentro da área adversária. Por sua vez, o Liverpool completou 296 passes (média de 23,43 por jogo).

Outro dado muito falado na mídia esportiva é em relação aos passes certos. A equipe espanhola obteve um índice de 88,8% de passes certeiros durante a competição. Os ingleses, talvez devido ao estilo de jogo empregado, tiveram 84,27% de passes certos. Mesmo com essa diferença, são resultados bastante interessantes, os quais não são tão frequentes quando falamos de futebol Brasileiro e Sul-americano. Ainda que a eficácia dos passes certos esteja muito presentes nos debates futebolísticos, acredito que o mais correto seja analisar o local onde os passes foram mais determinantes para o resultado da partida. Assim sendo, mostro os resultados dos dois finalistas: O Real Madrid acertou em média 66,46 passes certos por partida (total de 847 na competição), no último terço do campo – zona ofensiva de jogo (aproveitamento de 81,46%).

Em contrapartida, o Liverpool teve uma média de 67,28 passes certos por partida (total de 850 na competição), no último terço do campo (aproveitamento de 72,24%). Os dados mostram que o Real Madrid conseguiu executar com maior precisão os passes na zona ofensiva de jogo, mesmo tendo executado alguns passes a menos que o seu adversário da final do próximo sábado. O estilo de jogo apresentado pelo Liverpool, baseado no Gegenpressing (pressão sob a equipe adversária no momento em que o Liverpool perde a posse da bola no ataque), explica a menor troca de passes na zona ofensiva de jogo.

De forma geral, o Liverpool tem melhores números que o Real Madrid em quase todas as variáveis defensivas. O time de Klopp tem impressionantes 831 duelos defensivos ganhos, sendo o maior aproveitamento (22,11%) entre todos os competidores. A equipe inglesa também lidera outros rankings como o de interceptações feitas (43,54%) e duelos ganhos pelo ar (45,67%). A tabela abaixo compara outros dados relevantes de ambas as equipes finalistas.

De forma geral o confronto dos números está bastante equilibrado. Nos resta esperar para saber o que irá acontecer na final do próximo dia 26. Analisando os jogos e os diversos números das equipes, arrisco dizer que o jogo será jogado por duas ótimas equipes, cada uma com o seu estilo de jogo e movimentação. Baseado nos números e nos padrões apresentados durante a temporada, se precisasse apostar dinheiro em alguma delas (as probabilidades das casas de aposta mostram que o Real Madrid é o favorito para ganhar), eu apostaria na organização e objetividade apresentada pelo Liverpool. Sábado, a partir das 15:45 teremos uma ideia se eu estava certo ou errado. Nos vemos na próxima!

úmerosFábio Saraiva Flôres é professor de Educação Física formado pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). É professor do Centro de Educação Física e Desportos da UFSM e aluno de doutorado na Faculdade de Motricidade Humana em Lisboa. Atua profissionalmente como pesquisador e observador na área do Futebol desde 2010. É observador nível 1 da Professional Football Scouts Association (PFSA) da Federação Inglesa de Futebol.

Notícias Relacionadas