Esporte universitário americano é oportunidade para estudantes e apostadores

Atletas de elite podem estudar de graça nas conceituadas universidades americanas. Conjunto de fatores explica a popularidade das ligas esportivas universitárias.

O Brasil é o 6º país que mais envia alunos para as universidades dos Estados Unidos. A informação é do relatório Open Doors, elaborado Instituto de Educação Internacional. A organização afirma, ainda, que a quantidade de universitários brasileiros matriculados em instituições americanas disparou 78% entre 2013 e 2014.

Contudo, há um obstáculo que separa muitos estudantes do sonho da universidade americana: os custos. Nos Estados Unidos não há universidades gratuitas, até as públicas são pagas. Normalmente, o custo anual das mais baratas fica em torno de US$ 10 mil por ano. Instituições de elite, como as da Ivy League, podem chegar facilmente aos US$ 100 mil anuais.

Contudo, há um caminho para baratear os estudos, ou, até mesmo, obtê-los gratuitamente: o esporte.

Esporte pode garantir estudos gratuitos nos Estados Unidos

As ligas esportivas universitárias são instituições fortes (e lucrativas) nos Estados Unidos.

Só no ano fiscal de 2013, a National Collegiate Athletic Association (NCAA) faturou US$ 913 milhões. Para fins de comparação, A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), uma das instituições esportivas mais ricas do mundo, declarou ganhos de R$ 436 milhões no mesmo período.

Por conta disso, muitas universidades oferecem bolsas parciais ou totais a estudantes que têm alto desempenho em uma modalidade esportiva. Uma vez admitido, ele deve manter o alto desempenho acadêmico: as ligas não permitem que alunos com notas ruins entrem nas competições.

Por que o esporte universitário é tão valorizado?

Apesar de ninguém negar que trata-se de uma excelente oportunidade, muitas pessoas não entendem o porquê de o esporte universitário americano ser tão forte, já que, no Brasil, o cenário é muito diferente. Há uma série de fatores que explica essa realidade.

As ligas universitárias investem na nostalgia

Nos Estados Unidos, a escolha de uma universidade é um ritual. Candidatos costumam escolher a dedo, optando por instituições com as quais eles se identificam. E, quando se formam, costumam continuar ligados à instituição, organizando eventos, fazendo voluntariado, etc.

O esporte universitário é um destes fatores de ligação. Quando uma pessoa já graduada torce para o time da instituição onde se formou, ela se sente conectada à ela novamente. É por isso que, nos Estados Unidos, há a comercialização dos direitos de transmissão das ligas universitárias pelos canais de televisão: a audiência é grande.

As ligas universitárias são a porta de entrada para as competições profissionais

Muitas estrelas de ligas como a NFL (de futebol americano) e NBA (de basquete) saíram de times universitários.

De fato, é muito comum que os grandes times enviem olheiros às partidas. Sua missão é identificar possíveis estrelas em ascensão, que sejam um bom investimento para a equipe.

Isso, por sua vez, dá notoriedade à universidade que o estudante frequentava quando foi notado pela equipe.

Portanto, as instituições investem muito em suas equipes. Por outro lado, são rigorosas: elas veem as equipes esportivas como espelhos da própria universidade, e cobram o mais alto nível por parte dos atletas.

O mercado de apostas esportivas americano é maduro e popular

Uma decisão judicial prolatada este ano pela Suprema Corte americana reconheceu que cabe aos estados regulamentar as apostas esportivas em seu território. Com isso, a maioria das unidades federativas já se mobilizou para legalizar o jogo.

Em estados onde a prática já estava consolidada, como Nevada, o mercado já era forte – e deve crescer. De acordo com o Nevada Gaming Control Board, apenas em 2017 o mercado movimentou US$ 4,8 bilhões no estado.

Vale ressaltar que apostadores não investem apenas nas ligas profissionais: também há pesados investimentos nas ligas universitárias, dada a sua popularidade e alto nível técnico. Sites de apostas esportivas online – muitos em funcionamento no Brasil – permitem a prática.

Com a decisão, as apostas no futebol americano, basquete, beisebol e hóquei universitários deve aumentar, o que significa um aumento de audiência nos jogos e aumento de arrecadação para a NCAA. Com isso, as ligas universitárias devem investir cada vez mais na procura por jogadores de elite, o que se traduz em mais oportunidades de bolsas de estudos.

Conquistar uma bolsa de estudos esportiva é um projeto de longo prazo

Quem se sente atraído pela ideia de competir na liga universitária americana deve estar consciente de que trata-se de um projeto de longo prazo. O primeiro caminho é manter notas altas desde o início do ensino médio, pois o histórico escolar do candidato passa pelo crivo da comissão de admissões das instituições.

Ainda assim, é importante prestar um exame chamado SAT, que nada mais é que uma versão americana do ENEM. Também é essencial prestar exames de língua inglesa que acreditem um alto nível do idioma.

Ao mesmo tempo, não se pode descuidar dos treinos. É preciso juntar provas do desempenho do aluno no esporte, seja por cartas de recomendação de técnicos e colegas, vídeos demonstrativos ou registros de resultados em torneios.

Notícias Relacionadas