Única gaúcha na Taça Brasil 2018, Andressa Hartmann vai conquistando cada vez mais espaço na arbitragem

Em um ambiente dominado por homens as mulheres estão, ainda em tempos modernos, provando que capacidade não tem nada a ver com gênero e conquistado cada vez mais espaços dentro do futebol, seja como atletas, na comissão técnica, em cargos diretivos e também na arbitragem.

E quem vem se destacando e mostrando serviço no cenário estadual e também nacional no apito é a árbitra Andressa Hartmann, de 25 anos, natural de São Paulo das Missões, mas integrante do quadro da Associação de Árbitros de Futebol de Santa Maria (ASAF).

[vc_row][vc_column][mk_image src="http://esportesul.com/wp-content/uploads/2018/10/andressa.jpg" image_size="full" desc="Andressa Hartmann é um dos nomes promissores da arbitragem gaúcha. (Foto: Elias Alfonso)"][/vc_column][/vc_row]

Carregando o escudo da Federação Gaúcha de Futebol de Salão (FGFS) desde 2014, da Confederação Brasileira de Futsal (CBFS) desde 2016 e na mesma temporada eleita melhor árbitra gaúcha, Andressa participou no início do mês de sua principal experiência até então no apito dentro das quadras: a Taça Brasil de Futsal Adulto Feminino, uma das disputas mais tradicionais e prestigiadas do calendário nacional.

Andressa foi a única árbitra gaúcha escalada pela CBFS entre os onze convocados para os jogos na cidade paranaense de Telêmaco Borba. A profissional graduada em Educação Física pela UFSM foi dona do apito em cinco partidas que envolveram equipes de todos os cantos do país: São José Futsal e Esportes Olímpicos (SP) contra Minas Brasília Tênis Clube (DF), A.D. Telêmaco Borba (PR) e Clube Atlético Desportivo (MA), Cyanorte (PR) e São José Futsal e Esportes Olímpicos (SP), Associação Female Futsal (SC) e Sociedade Recreativa Filadélfia (MG) e por fim Clube Atlético Desportivo (MA) e Clube Jaó (GO).

- É uma alegria muito grande pra todo árbitro ao ser convocado para uma competição nacional e pra mim não foi diferente, ainda mais sendo a única árbitra gaucha a ir para a competição. Todos os jogos da Taça Brasil foram muito equilibrados, com alto nível técnico das equipes, exigindo uma grande troca de experiência com os colegas de outros estados para termos uma boa atuação em quadra. Sem dúvida, foi uma experiência que irá agregar muito no meu crescimento profissional. - diz Andressa.

E tal experiência profissional veio curiosamente no período em que a árbitra menos apitou em partidas em solo estadual comparado aos últimos anos. Mas foi um "afastamento" pensado cuidadosamente e por um bom motivo. Desde abril desde ano Andressa realiza o curso da Federação Gaúcha de Futebol (FGF) para atuar também no futebol de campo. Após ser aprovado no teste físico momentos antes do embarque para a Taça Brasil, a árbitra aguarda agora o apenas o resultado da prova teórica para sua aprovação. Um novo escudo na arbitragem e com certeza novas portas para promissores caminhos para Andressa Hartmann.

- Esse ano eu decidi realizar o curso de campo da FGF, o que acabou me distanciando um pouco dos jogos de futsal. No início eu estava com um pé atrás, mas hoje não me arrependo. Sabemos que o futsal e o futebol se encontram em patamares bem diferentes. No futebol de campo há mais valorização, investimento, envolvimento midiático. Estou no aguardo para a minha aprovação como árbitra da FGF e após, ainda não optei para qual lado irei seguir. Para o futuro, vou continuar me preparando fisicamente e psicologicamente e aproveitar as oportunidades. - conclui Andressa.

[vc_row][vc_column][mk_image src="http://esportesul.com/wp-content/uploads/2018/10/andressa-1.jpg" image_size="full" desc="Taça Brasil foi a segunda competição nacional que Andressa arbitrou. (Foto: Arquivo Pessoal)"][/vc_column][/vc_row]

s2Member®

CÓPIA PROIBIDA

CONTEÚDO PROTEGIDO PELA LEI DE DIREITOS AUTORAIS

EsporteSUL - O esporte daqui é aqui www.esportesul.comFacebookInstagramTwitter