Diogo Giacomini faz história e leva Coimbra ao título do Módulo II mineiro

Diogo Giacomini faz história e leva Coimbra ao título do Módulo II mineiro – EsporteSUL

Para continuar lendo, identifique-se com nome e email.

A estreia do Coimbra no Módulo II do futebol mineiro foi apenas de passagem. Com uma campanha invicta, o time comandado pelo santa-mariense Diogo Giacomini, que já havia garantido o acesso para a divisão especial com a vaga na decisão, venceu o Uberlândia no último sábado (11/05) e conquistou o título da competição.

diogo giacomini. Luisa Gonçalves
Diogo Giacomini colocou o Coimbra entre os grandes de Minas Gerais. Foto: Luisa Gonçalves

O título invicto veio com vitória na partida final disputada na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, por 1 a 0 sobre o Uberlândia, com gol de pênalti marcado por Bruno Mineiro. Com o empate no duelo de ida em 1 a 1, no Parque do Sabiá, o jovem clube treinado por Giacomini, fundado em 2006, chegou ao seu segundo acesso e segundo título consecutivo no futebol mineiro.

À frente do Coimbra, que tem sede em Contagem, Diogo registra ótimos números. Além da melhor defesa do campeonato (seis gols sofridos), foram oito vitórias e sete empates nesta edição do Módulo II.

Somada à campanha na Segunda Divisão em 2018, que culminou com o título de campeão após oito tentativas, são 18 vitórias, 10 empates e apenas duas derrotas na casamata do Coimbra, que corresponde a um aproveitamento de mais de 70%.

O título veio graças a um árduo e incansável trabalho. Ele veio de maneira incontestável. De forma invicta. Vencemos a forte equipe do Uberlândia Esporte Clube por 1 a 0 e coroamos esta grandiosa campanha com o troféu. Obrigado, meu Deus, por este feito. O objetivo primordial da temporada foi conquistado. O Coimbra é realidade! - comemorou o treinador.

Com a conquista, Diogo, de 39 anos, chegou ao seu 14º título no futebol.

Longe de sua terra natal há mais de uma década, o professor de Educação Física formado pela UFSM, que é Especialista em Treinamento Esportivo pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Mestre em Treinamento Esportivo, também pela UFMG, iniciou a carreira no Inter-SM no final da década de 90 e se transferiu logo depois para Minas Gerais, onde atuou por 10 anos nos três grandes clubes do estado (América, Cruzeiro e Atlético), antes de assumir o  sub-20 do Palmeiras. Em maio de 2015, voltou ao Galo após deixar o Verdão. No clube paulista, foi vice-campeão brasileiro sub-20 em 2013. Em dezembro de 2017, Diogo deixou o Atlético e assumiu no início da temporada passada o comando do trabalho no futebol desde a base (sub-20) até o profissional do Coimbra.

Diogo se destacou no futebol mineiro com resultados consistentes em equipes de base, principalmente no Atlético, onde levou o júnior do Galo à semifinal da Copa do Brasil sub-20 na temporada 2015 e comandou o time profissional nas duas últimas rodadas do Brasileirão 2016, após a saída de Levir Culpi, com uma derrota (2 a 1 para o Grêmio), e uma vitória (3 a 0 sobre a Chapecoense), que garantiu o vice-campeonato e a vaga direta na Copa Libertadores da América ao alvinegro de Minas. No ano seguinte, também comandou interinamente o Galo nas três últimas rodadas do Brasileirão, após a demissão de Marcelo Oliveira. No comando da equipe sub-20, levou o Alvinegro de Belo Horizonte ao título do Torneio de Terborg, disputado na Holanda, em 2016.

Na primeira passagem pela Cidade do Galo, entre dezembro de 2007 e abril de 2013, o treinador comandou a equipe juvenil atleticana, quando conquistou oito títulos: o tetracampeonato do Torneio Future Champions (2010/11) em Belo Horizonte e (2011/12) na África do Sul; o Torneio de Gradisca na Itália (2008), a Copa Integração sub-16 (2008), e o bi campeonato estadual (2011/12), somando quase 20 resultados expressivos, entre títulos e vice-campeonatos.