União Independente e UFSM Futsal em situações opostas

Time universitário já confirmou sua participação na Série Ouro mesmo se for realizada com portões fechados. Já o clube áureo-cerúleo só entra em quadra se a presença da torcida for liberada pelas autoridades

(Foto: Bruno Tech/EsporteSUL)

O União Independente, a UFSM Futsal e todas as demais equipes que compõe a elite do futsal gaúcho ganharam mais quinze dias para replanejarem esta insólita temporada e confirmarem participação na Série Ouro 2020.

Porém, mesmo com o prazo que era inicialmente de 30 de junho prorrogado pela Federação Gaúcha de Futebol de Salão (FGFS) em virtude do aumento de novos casos do coronavírus e no número de regiões em bandeira vermelha de acordo com o modelo de distanciamento controlado, o que impossibilita a prática de atividades coletivas e a liberação dos ginásios, a dupla santa-mariense segue firme em suas decisões.

A UFSM já assegurou sua presença na Série Ouro, enquanto o União condiciona ainda a sua participação à presença de público nas arenas, o que cada vez parece mais distante nesta temporada por conta da crise sanitária.

A incerteza áureo-cerúlea ocorre pelo fato de que o União Independente tem como principal fonte de renda a arrecadação em dias de jogos. Como perdeu cotas de patrocínios, a arrecadação vinda das arquibancadas com a venda de ingressos e copa se torna ainda mais necessária. Além do União, o São José, de Cachoeira do Sul, e o Paulista, de Pelotas, também estão com participação sub judice.

- O União Independente jogará competições a nível estadual somente com público, visto ter uma renda extra na bilheteria e na copa. Nossa participação ainda depende dos ginásios e portões abertos. Não adianta termos um prazo estendido para a confirmação ou não na competição se não temos nada concretizado. Estamos no aguardo da abertura dos ginásios para saber os rumos a serem tomados. Não temos um norte porque a situação segue totalmente indefinida. - comenta Claudemir Fernandes, o Maninho, presidente do União Independente.

Por outro lado a UFSM Futsal já sinalizou que entrará em quadra pela primeira divisão estadual independente da liberação ou não da torcida nos ginásio, já que recebe auxílio da instituição de ensino por ser um projeto de extensão. O único complicador para o time tricolor que também viu suas cotas de patrocínios e planos de sócios declinarem é mesmo a evolução da pandemia, o que consequentemente pode acarretar na tomada de medidas mais restritivas no município e estado.

- Temos total intenção e queremos participar, mas existem coisas que podem ser superiores a isto. Por conta da evolução da Covid-19 aqui em Santa Maria pode ser que não seja nem permitido os treinos, o que ainda não são. Se isso acontecer até muito o próximo do início da competição provavelmente vamos optar lá na frente por desistir. Precisamos de um período de treinamento e saber se a Prefeitura vai liberar os jogos. A princípio vão autorizar, mas sem público. A Prefeitura pode também limitar os jogos aqui e aí talvez os jogos teriam que ser transferidos para outras cidades. O que envolveria um custo maior e as coisas começam a se complicar um pouco. Existem esses detalhes que podem complicar nossa participação. Mas queremos jogar e vamos participar mesmo sem público. Não dependemos desta receita (bilheteria) para participar.  - diz o técnico da UFSM, Gabriel Pranke, que completou:

- O principal é a segurança. O principal são os atletas e comissão técnica estarem seguros para poder treinar e participar dos jogos com segurança. Se entendermos que não é possível oferecer isto a todo mundo infelizmente vamos optar por não disputar a Série Ouro. Mas estou bastante confiante que vamos conseguir efetivar nossa participação com segurança de todo mundo sem riscos.

A FGFS também prorrogou por mais quinze dias o pagamento das taxas de inscrição para os clubes que realmente forem disputar a Série Ouro, também previstas inicialmente para ocorrerem até o dia 30 de junho. Dos santa-marienses apenas a UFSM quitou a sua parcela, já que pelo lado do União o impasse permanece.

Nesta última terça-feira (30/06) uma comitiva da entidade máxima do futsal gaúcho foi recebida pelo Secretário de Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul, Francisco Vargas. No encontro dois ofícios foram entregues pelo presidente da FGFS, Ivan Santos. O primeiro solicitando atenção especial ao futsal, uma das modalidades que mais movimentam atletas e clubes no estado, e o segundo postulando testes rápidos de Covid-19 com custo acessível para os clubes filiados.

Com a divisão dos grupos e tabela de jogos encaminhada, o objetivo da FGFS segue sendo abrir a Série Ouro no dia 22 de agosto, com a partida entre Assoeva e BGF Futal, e iniciar oficialmente a competição no dia 5 de setembro.

Veja abaixo os grupos caso as dez equipes confirmem participação na Série Ouro:

CHAVE A: Assoeva, de Venâncio Aires, BGF Futsal, de Bento Gonçalves, Santa Cruz Futsal, de Santa Cruz do Sul, Rabelo, de Alvorada, e SER Canoense, de Canoas.

CHAVE B: União Independente, UFSM, São José, de Cachoeira do Sul, Paulista, de Pelotas, e AES, de Sobradinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

s2Member®

CÓPIA PROIBIDA

CONTEÚDO PROTEGIDO PELA LEI DE DIREITOS AUTORAIS

EsporteSUL - O esporte daqui é aqui www.esportesul.comFacebookInstagramTwitter